ESTABELECIMENTO IN VITRO DE MIRTILEIRO: CULTIVARES BLUECROP, DUKE E MISTY

Authors

  • TÂNIA REGINA PELIZZA
  • FABIANE NUNES SILVEIRA
  • JANAÍNA MUNIZ
  • FERNANDA GRIMALDI
  • LEO RUFATO
  • AIKE ANNELIESE KRETZSCHMAR

Abstract

Agentes de contaminação de tecidos como bactérias e fungos são comuns em plantas in vivo, mas apresentam efeitos danosos sobre plantas em condições in vitro. A oxidação dos explantes pode levá-los à morte, ocasionando uma redução no percentual de obtenção de novas brotações, possíveis de originarem uma nova planta. Neste trabalho objetivou-se definir a assepsia mais adequada para o estabelecimento in vitro de mirtileiro das cultivares Bluecrop, Duke e Misty. O experimento foi realizado, no Laboratório de Micropropagação de Plantas do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV/UDESC), em Lages (SC). Foram testados cinco tratamentos para a desinfestação dos explantes: (T1: 1min álcool 70%; T2: 10 min NaOCl 2 %; T3: 15 min NaOCl 2%; T4: 1 min álcool 70%; + 10 min NaOCl 2% e T5: 1 min álcool 70%; + 15 min NaOCl 2 %) e três cultivares de mirtileiro (Bluecrop, Duke e Misty), o que constituiu um fatorial 5 x 3. Foram avaliadas a porcentagem de contaminação fúngica, bacteriana e oxidação após 28 dias e o estabelecimento dos explantes aos 45 dias de cultivo in vitro. Para o estabelecimento in vitro de segmentos nodais de mirtileiro, há um comportamento distinto entre as cultivares. A oxidação in vitro dos explantes de mirtileiro é baixa. Para o estabelecimento in vitro de segmentos nodais de mirtileiro, podese fazer o uso de imersão em solução de álcool 70%, durante 1 minuto ou em NaOCl 2 % durante 10 minutos.

Published

2016-08-17

How to Cite

PELIZZA, T. R.; NUNES SILVEIRA, F.; MUNIZ, J.; GRIMALDI, F.; RUFATO, L.; KRETZSCHMAR, A. A. ESTABELECIMENTO IN VITRO DE MIRTILEIRO: CULTIVARES BLUECROP, DUKE E MISTY. Plant Cell Culture & Micropropagation - ISSN 1808-9909, [S. l.], v. 9, n. 1-2, p. 9-16, 2016. Disponível em: http://pccm.ufla.br/index.php/plantcellculturemicropropagation/article/view/55. Acesso em: 12 jul. 2024.

Issue

Section

Review